Skip to content

TI para Negócios

Como fazer a tecnologia trabalhar pelo seu sucesso e da sua empresa

A Stefanini, uma das mais importantes provedoras globais de soluções de negócios baseadas em tecnologia, anuncia parceria com a ProWeb, fornecedora de soluções de gerenciamento para o mercado de seguros. A solução permite operacionalizar toda a cadeia produtiva deste segmento.

Essa solução possui uma ferramenta de modelagem de negócios que oferece uma solução modular e completa nas três dimensões do negócio de seguros: segurado, corretores/representantes comerciais e seguradoras. Ela cria soluções inovadoras e multiprodutos, adequando-se à realidade operacional dos clientes, e permitindo, assim, realizar uma transformação digital e operacional de forma rápida, segura e harmoniosa com os sistemas legados.

A proposta da solução é oferecer uma dinâmica comercial diferenciada, com flexibilidade para criar modelos para cobranças em grupos ou individuais, além de uma infinidade de dashboards nativos, que permitem um acesso mais rápido às informações, tornando a tomada de decisão mais ágil e assertiva.

Para Breno Barros, diretor de Inovação e Negócios Digitais da Stefanini, essa nova parceria vem trazer novos modelos de negócios que se antecipam ao processo de time-to-market, permitindo ao cliente de seguros experimentar novos tipos se serviços inovadores de uma maneira mais rápida. “Estamos disponibilizando ao mercado uma poderosa solução que permitirá acelerar seu plano estratégico digital em um modelo totalmente flexível, ágil, com manutenção extremamente reduzida e de baixo custo, além de contar com suporte de profissionais altamente especializados”, comenta.

A solução tem o compromisso de contribuir para a redução das despesas administrativas (DA); melhorar a governança e compliance, pela garantia da aplicação das regras de negócio definidas pela organização em modo automático; trazer retenção do capital intelectual corporativo; capacidade dinâmica e inovadora de resposta; fidelização pelo aumento do nível de serviço dos parceiros de negócios e consumidores finais, poder de operar em múltiplas moedas e idiomas.

Segundo Nelson Meiga, sócio da ProWeb, a Stefanini tem no DNA a marca de liderança de Marco Stefanini, fundador e CEO Global da multinacional, que está em busca constante por soluções inovadoras. “É uma empresa que é desafiada por ela própria, e conta com um programa de startups, o OpenStartups, totalmente diferenciado. Uniremos a força de uma marca consolidada e reconhecida no mercado pelo seu padrão de qualidade, com foco em inovação e transformação de negócios, ao alto nível de especialização em seguros”, explica.

A ProWeb nasceu da sólida experiência de seus sócios, que possuem mais de 20 anos de atuação no mercado de segurados no Brasil e na Europa. A empresa traz para o Brasil um modelo inovador de gerenciamento do processo de negócios de seguros, se denominando não com uma solução pura de tecnologia, mas como uma plataforma de modelagem de negócios de seguros.

Stefanini e ProWeb têm como meta avaliar os potenciais clientes para que, em breve, possam assumir uma posição de liderança em soluções para o mercado de seguros. “Elevaremos nosso potencial de vendas de forma exponencial ao nos aliarmos a uma multinacional com várias oportunidades no mercado de seguros brasileiro e internacional”, comenta Nelson Meiga. Já Breno Barros ressalta a importância de se criar uma seguradora totalmente digital. “A partir de agora, temos a opção de implementar uma solução de ponta a ponta, com canais digitais, onde é possível agregar IoT e Analytics na mesma plataforma, criando novos serviços com modelos ágeis para o mercado de seguros”, finaliza.

As tendências de tecnologia e de dados em evolução, como 5G, blockchain, inteligência artificial e cloud, deverão catalizar mudanças significativas na arquitetura de redes em 2019, de acordo com a Equinix, empresa global de interconexão e data center, que anuncia suas cinco principais previsões para 2019.

A Equinix desenvolveu insights exclusivos baseados em dados sobre os principais pontos que estão influenciando as empresas, à medida que se reformulam para alcançar sucesso em uma economia cada vez mais digital. A empresa está presente em 52 mercados globais, com mais de 9.800 clientes.

“Avanços tecnológicos rápidos continuarão a abrir as portas para maior velocidade, eficiência, segurança, inteligência e escala de negócios digitais. Mas sem as infraestruturas de TI adequadas que são concebidas e construídas para alavancar a interconexão para simplificar a complexidade e integrar as tecnologias digitais desde o início, as organizações não serão capazes de obter todos os seus benefícios”, afirma Diego Julidori, gerente de produtos da Equinix no Brasil.

Previsões:

1) 5G: as redes sem fio de alta velocidade do futuro irão acelerar a transformação da rede no presente

O 5G abrirá possibilidades infinitas de transformação digital, especialmente com a evolução da Internet das Coisas (IoT) e a inteligência artificial (IA). Para alcançar a alta densidade de ondas de rádio exigida pelo 5G, os provedores de serviço pretendem otimizar os custos utilizando equipamentos de rede de mercado com base em Open-Source e virtualização das camadas de rede no acesso. Esses esforços abrirão caminhos para que a arquitetura de Edge resolva as rede de acesso a rádio “centralizada”, que alimentam vários rádios por meio de grupos de software de rede virtualizados.

A Equinix antecipa, para 2019, investimentos maciços na reforma da infraestrutura das redes móveis existentes e na construção de uma nova infraestrutura de Edge, bem como em equipamentos de rede de mercado com base em Open-Source e virtualização das camadas de rede no acesso.

“O 5G é uma das tendências mais fortes que teremos em 2019. Ele virá com uma capacidade de velocidade muito alta e vai viabilizar acesso em áreas que não tínhamos antes. Quando pensamos na forma como essa tecnologia poderá ser distribuida para o ecossistema podemos comparar com a estratégia aplicada ao desenvolvimento de caminhões autônomos, grandes hubs que devem circular em grandes rodovias para chegar em centros maiores ainda. Tudo precisa estar conectado para funcionar perfeitamente e dar certo”, afirma Julidori.

2) Inteligência Artificial (IA): as arquiteturas de IA de próxima geração serão descentralizadas

O crescente uso da Inteligência Artificial nos negócios e na sociedade aumentará exponencialmente o uso de dados. Embora as arquiteturas de IA de primeira geração tenham sido centralizadas historicamente, a Equinix prevê que, no próximo ano, as empresas começarão a entrar no reino das arquiteturas de IA distribuídas. A construção e inferência do modelo de IA ocorrerão em locais de edge, gerando a maior parte dos dados. Para acessar mais fontes de dados externas de modo a obter previsões exatas, as empresas se voltarão para os marketplaces de transações de dados seguras. Também se esforçarão por alavancar a inovação de IA em múltiplas clouds públicas, sem ficarem presas a uma única cloud, descentralizando ainda mais sua arquitetura.

3) Blockchain: a interconexão de redes trará amadurecimento ao blockchain, promovendo maior segurança e monetização de negócios

Os investimentos em blockchain estão crescendo a uma taxa composta de crescimento anual de 73%, com projeções de um total de gastos de US$ 11,7 bilhões até 2022, de acordo com a IDC[1]. A Equinix prevê que:

· As empresas começarão a participar simultaneamente de várias redes de blockchain (por exemplo, segurança alimentar, finanças, transporte global de contêineres) e, assim, criarão redes interconectadas — algo que lhes permita interagir simultaneamente com suas várias redes de blockchain.

· O blockchain será usado por empresas em aplicações nas quais o desempenho em tempo real é importante, como rastreio das transações eletrônicas , na comunicação/troca de dados Machine-to-Machine (IoT) e na liquidação de moedas, entre fronteiras, só para citar algumas.

A integração se tornará um enorme desafio na medida em que as empresas integrem suas aplicações antigas a várias redes de blockchain, Gerando uma necessidade de criar/participar de pontos de troca de tráfego de blockchain com outros participantes com conexões diretas.

4) Privacidade de dados: mudanças nas leis de proteção de dados e a crescente preocupação com a privacidade inspirarão processos de segurança mais progressivos

Muitas empresas e provedores de SaaS estão implantando miniclouds em várias regiões, de modo a aderir às exigências de conformidade e de residência local de dados. Também estão buscando arquiteturas de gerenciamento de dados distribuídas, que exigem redes globais e malhas de dados para gerenciar coerentemente essas miniclouds distribuídas.

A Equinix prevê que, para evitar violações e manter o controle de dados, as empresas analisarão:

· Novas técnicas de gerenciamento de dados que podem funcionar com dados criptografados.

· Nova tecnologia de virtualização baseada em hardware que impedirá que provedores de serviços monitorem os dados de seus clientes.

5) Cloud: Ambientes de multicloud aumentarão a relevância da interconexão

No momento, as empresas estão acessando soluções de SaaS, IaaS e PaaS de vários provedores de cloud e, à medida que buscam arquiteturas multicloud, estão também percebendo que seu perímetro de segurança tradicional precisa ser estendido a soluções de segurança multiclouds. Essas tendências indicam que, na medida em que a cloud continue a amadurecer, 2019 verá o surgimento do próximo patamar de desafios associados às abordagens de cloud híbrida e de multicloud.

As empresas enfrentarão os problemas de integração e gerenciamento que sobrevêm com múltiplas clouds e buscarão o parceiro adequado de interconexão para navegar através da complexidade da cloud. De acordo com o Global Interconnection Index, estudo de mercado publicado pela Equinix, há previsões de que a interconexão entre as empresas, a cloud e os provedores de TI cresça 98% ao ano até 2021, favorecendo os negócios que geram novos serviços digitais e migram cargas de trabalho existentes para plataformas de cloud de terceiros.

O cumprimento das obrigações fiscais ainda é um gargalo para o setor supermercadista brasileiro. Anualmente, o segmento se desdobra para gerenciar os tributos, qualquer que seja o regime tributário no qual a empresa esteja enquadrada. Essa era a realidade do Supermercado Pague Menos, uma das maiores redes varejistas do Estado de São Paulo, que além de gerenciar um grande volume de documentos fiscais de ordem federal, também tinha que administrar, manualmente, as atribuições de 30 estabelecimentos, entre lojas e empresas do grupo, na região de Campinas.

Em busca de uma tecnologia para substituir o processo manual de entrega de obrigações, o Supermercado Pague Menos adotou a solução de Automação de Entrega da Synchro, empresa brasileira com 26 anos de expertise na área fiscal. Além de simplificar o trabalho dos funcionários, a solução automatiza todo o processo de importação, validação, assinatura digital, entrega e armazenamento das obrigações acessórias.
“Conseguimos ter maior controle e detalhamento do processo, além de segurança em relação à apuração e envio das declarações ao Fisco”, afirma Maria Cristina Tonin, Coordenadora Fiscal do Supermercado Pague Menos. A executiva ressalta que por meio de um gráfico, eles podem acompanhar em tempo real a posição das entregas e identificar se há inconsistências nas Informações para realizar as devidas correções antes do prazo final.

Outra vantagem é a redução da carga de trabalho. Para realizar todas as atividades fiscais, que incluía as obrigações com SPED Fiscal e SPED Contribuições, a companhia despendia de dois dias úteis. Agora, todo o processo é feito em meio período. “Se não tivéssemos optado por uma ferramenta automatizada, provavelmente, teríamos que investir em novas contratações para atender a alta demanda do departamento”, disse Tonin. A economia em horas trouxe ganhos em produtividade para a Rede. “Os colaboradores ganharam mais tempo para atuar em atividades mais estratégicas dentro do departamento fiscal da empresa”, comenta a Coordenadora que ressalta que a solução da Synchro foi a melhor avaliada do mercado pela sua equipe.

Autuações nunca mais

Em 2017, a Receita Federal teve o melhor ano da história da sua fiscalização com 204,9 bilhões de créditos tributários. Boa parte desse desempenho deve-se ao avanço tecnológico da Administração Pública, que passou a ter um controle maior sobre contribuintes e organizações. “Para atender uma demanda por maior detalhamento das operações que envolvem a área contábil, as companhias passaram a se preocupar com a qualidade das informações prestadas ao Fisco”, disse Luís Fernando Penha, Product Owner da Synchro.

Esse é um dos benefícios da solução de Automação de Entrega. “Ao automatizar o processo, a solução praticamente zera a incidência de multas e autuações por conta de atrasos das obrigações”, comenta Penha. Outro ganho financeiro está relacionado aos custos operacionais. De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), as atualizações diárias, cursos e treinamentos de pessoal, representam 1,5% do faturamento anual das companhias, que podem ser eliminados com uma solução fiscal parametrizada.